sábado, septiembre 24, 2022
HomeREDES5G5G avança mais rápido do que o 4G no Brasil: Teleco

5G avança mais rápido do que o 4G no Brasil: Teleco

Para a consultoria, o número de acessos 5G será igual ao de 4G em 2025. A Claro é a principal responsável pelo avanço da tecnologia.

Leer en español

Assim como em outros países, o 5G evoluiu mais rápido do que o 4G nos primeiros 12 meses de atividade no Brasil. A análise é da consultoria Teleco.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) começou a registrar os acessos 5G – inicialmente com compartilhamento dinâmico de espectro (DSS) – em agosto de 2021, com 90,6 mil celulares 5G. Em julho de 2022, o número de celulares 5G passou para 3,4 milhões.

No caso do 4G, maio de 2013 teve 105 mil acessos e, 12 meses depois, o número chegou a 2,5 milhões. O avanço mais rápido do 5G também tem acontecido em outros países.

Relacionado: Crise de chips acelera a transição do 4G para o 5G: Claro Brasil

A Teleco ainda destaca que o caso no Brasil é mais notável porque, mesmo aguardando a limpeza da faixa de 3,5 GHz – a principal do 5G – , a tecnologia cresceu mais do que o 4G, que não teve que esperar limpeza de faixa.

A estimativa da consultoria é que a quantidade de acessos 5G se iguale à de 4G em 2025.

Operadoras

A consultoria também analisou o crescimento das tecnologias por operadora nacional. A Claro foi a principal responsável pelo maior crescimento do 5G, com três vezes mais acessos do que tinha com 4G no primeiro ano.

A Vivo teve um crescimento maior do 5G em comparação com o 4G, mas com uma diferença menor do que a Claro. Já a TIM apresentou um avanço maior do 4G do que no 5G.

Fonte: Teleco

Esses números podem ser explicados pelo fato de a Claro ter sido a primeira operadora a lançar o 5G DSS no Brasil, em julho de 2020, seguida pela Vivo. Em um primeiro momento, a companhia da América Móvil lançou a tecnologia no Rio de Janeiro e em São Paulo, mas o 5G se espalhou rapidamente e, até o final daquele ano, estava disponível em todas as regiões do país.

A TIM foi a última a ativar o 5G DSS, em dezembro de 2020. Apesar disso, a operadora tenta tirar a desvantagem ao ligar o 5G na faixa de 3,5 GHz com ampla cobertura nas capitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

A expectativa é que o número de acessos 5G comece a acelerar ainda mais com a liberação do 3,5 GHz. Em julho, as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa tiveram a tecnologia ativada em algumas regiões. Agora já são 15 capitais brasileiras com 5G non-standalone e standalone.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, periodista de temas digitales, telecomunicaciones y tecnología y corresponsal de DPL News en Brasil y lengua portuguesa. Editor, jornalista digital, de telecomunicações e tecnologia e correspondente do DPL News no Brasil e em português.

Publicidad

LEER DESPUÉS