jueves, septiembre 29, 2022
HomeDPL NEWSRNP aumenta capacidade de rede acadêmica brasileira para 100 Gb/s

RNP aumenta capacidade de rede acadêmica brasileira para 100 Gb/s

O projeto melhorou os trechos entre Paraná e São Paulo e entre Bahia e Distrito Federal, com parceria da Telebras e da empresa de energia Taesa.

Leer en español

A RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa) aumentou a capacidade de dois trechos da Ipê, rede acadêmica brasileira, para 100 Gb/s. Agora, a comunicação entre os estados de Paraná e São Paulo e entre a Bahia e o Distrito Federal ficou mais potente com a expansão da sétima geração da rede Ipê.

O projeto foi realizado com parceria da Telebras, no caso da conexão entre Paraná e São Paulo, e da empresa de energia Taesa, na conexão entre a Bahia e o Distrito Federal.

Relacionado: Projeto Bella, com cabo submarino, beneficiará a educação e a pesquisa no Brasil

Ari Frazão Júnior, diretor-adjunto de Engenharia e Operações da RNP, explica que a novidade permite que sejam feitas trocas de tráfego a 100 Gb/s entre quaisquer Pontos de Presença (PoPs) da RNP conectados a essa capacidade. “Ou seja, uma conexão a 100 Gb/s entre os estados do Amazonas e o Rio Grande do Sul, por exemplo, tornou-se possível”.

As instituições de ensino conectadas à rede Ipê poderão usufruir dessa capacidade assim que houver a atualização das redes metropolitanas, o que deve acontecer em breve, segundo Frazão.

Outro benefício da rede é permitir que as unidades de ensino colaborem com instituições no exterior em conexões de altíssima capacidade por meio dos cabos Monet, que liga a América do Sul à América do Norte, e EllaLink, que liga o Brasil à Europa.

A RNP também informou que instituições da América Latina poderão utilizar a infraestrutura com a cessão de canais entre Fortaleza e Porto Alegre, que será contrapartida para participação no projeto Bella.

Rede Ipê

A Rede Ipê está presente em todo o território nacional com 27 PoPs e atende instituições de ensino superior e pesquisa, agências de fomento à pesquisa, museus, empresas inovadoras, estabelecimentos de saúde com ensino e pesquisa e ambientes promotores de inovação, como parques e polos tecnológicos.

Além de conectar todo o Brasil, a rede ainda está integrada com a América do Sul, América do Norte e Europa por meio de cabos submarinos.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, periodista de temas digitales, telecomunicaciones y tecnología y corresponsal de DPL News en Brasil y lengua portuguesa. Editor, jornalista digital, de telecomunicações e tecnologia e correspondente do DPL News no Brasil e em português.

Publicidad

LEER DESPUÉS