lunes, febrero 6, 2023
HomeBRASILLula anuncia Luciana Santos para o Ministério da Ciência e Tecnologia

Lula anuncia Luciana Santos para o Ministério da Ciência e Tecnologia

Luciana Santos será a primeira mulher a ocupar o cargo efetivo. O presidente eleito também apresentou o relatório final da equipe de transição, com as sugestões para o novo governo.

O presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva anunciou Luciana Santos para o Ministério da Ciência e Tecnologia. Lula apresentou parte de seu futuro governo nesta quinta-feira, 22, e disse que os outros 13 nomes serão anunciados até terça-feira da semana que vem.

É a primeira vez que uma mulher assume o cargo efetivo – antes de Santos, Emília Maria Silva Ribeiro Curi assumiu a pasta de forma interina.

A futura ministra atualmente é vice-governadora de Pernambuco e presidenta nacional do PCdoB (Partido Comunista do Brasil). Ela é formada em engenharia elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco e já ocupou o cargo de secretária de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente no mesmo estado. Santos também foi deputada federal de 2010 a 2018.

O Ministério das Comunicações deverá ser anunciado na próxima semana com outras pastas, completando o governo. Alguns dos nomes cotados são Paulo Bernardo, ex-ministro de Lula, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, ambos deputados federais, segundo a imprensa brasileira.

Prioridades do novo governo

O presidente eleito também apresentou o relatório final do gabinete de transição com a situação encontrada em todas as pastas. Segundo o grupo, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações teve “pulverização de iniciativas e sobreposição de ações, com relevância e impacto limitados”.

A equipe de transição defende a liberação integral dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). “A destinação desses recursos deve se voltar para projetos nacionais estruturantes e mobilizadores, em complemento (e não substituição) à recuperação e ampliação do orçamento do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e de suas unidades e agências”, diz o documento.

O grupo também afirma que é necessário recompor as instâncias de diálogo e participação da sociedade civil, como o Conselho de Ciência e Tecnologia e o Conselho Diretor do FNDCT.

Em relação ao Ministério das Comunicações, a equipe apontou que houve redução de editais para radiodifusão educativa e comunitária e que as políticas de telecomunicações foram focadas na expansão da infraestrutura, “sem a existência de iniciativas que busquem reduzir as desigualdades no acesso aos serviços de telecomunicações e garantam o pleno acesso da população de menor renda à Internet”.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, jornalista de temas digitais, de telecomunicações e tecnologia e correspondente da DPL News no Brasil e em português.

LEER DESPUÉS