Empresas chamam presidenciáveis para compromisso com Economia Digital

Leer en español

A Câmara Brasileira de Economia Digital (camara-e.net) enviou uma carta a todos os candidatos à Presidência da República alertando sobre a importância de um compromisso com a Economia Digital. O grupo também listou uma série de eixos a serem avaliados pelo próximo presidente do país.

A associação, que inclui empresas como Amazon, Bitso e TikTok, afirma que o Brasil não aproveita as oportunidades da Era Digital. “No Ranking de Competitividade Digital 2021, o Brasil permaneceu na 51ª posição entre os 64 países comparados em fatores associados às condições que um país cria para adotar, criar e promover tecnologias digitais nos setores público e privado”, diz o documento, complementando que a estratégia de transformação digital lançada em 2018 é insuficiente.

E, segundo a camara-e.net, o problema não é a resistência da população às novas tecnologias, pois 78,3% da população está conectada, o brasileiro passa em média 10 horas por dia online e, em 2021, o país tinha 440 milhões de aparelhos digitais em uso. Os números são do Global Overview Report de 2021.

Compromissos

A camara-e.net convida os presidenciáveis para um compromisso com o desenvolvimento da Economia Digital. Para isso, os esforços devem estar voltados a três objetivos principais: revisão das políticas existentes para avaliar se são compatíveis com o novo cenário; criação de normas e políticas alinhadas à nova realidade, alinhadas às características da Economia Digital; e criação de arranjos institucionais entre Estado, empresas, terceiro setor e academia, que impulsionem a entrada do país na nova economia.

Alguns dos eixos destacados pela associação são:

  1. Ampliar o acesso à internet de qualidade e com segurança;
  2. Promover parcerias público-privadas;
  3. Implementar políticas voltadas à formação, qualificação e requalificação digital dos brasileiros;
  4. Estimular a implantação de tecnologias digitais voltadas ao desenvolvimento sustentável e à preservação do meio ambiente;
  5. Promover o letramento digital e a capacitação de professores em todos os graus de formação; entre outros.

Benefícios

O grupo resume que a Economia Digital reduz burocracias, simplifica e otimiza procedimentos, aumenta o mercado consumidor, aumenta a produtividade, reduz custos e permite o surgimento de novas atividades.

Dados da McKinsey mostram que o aprimoramento de competências digitais ajudaria 21 milhões de brasileiros a encontrarem trabalho, o que resultaria em um acréscimo de até US$ 70 bilhões no produto interno bruto nacional até 2025.

Esses números são relevantes pelo atual cenário de crise econômica, com nível de desemprego a 9,3% (em junho), recorde de trabalho informal (que atinge 40% dos trabalhadores) e inflação a 10,07% (até julho).

Além disso, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recomendou ao Brasil que avance na economia digital inclusiva, alinhando aos padrões da OCDE, para que o país possa fazer parte da organização.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies