sábado, noviembre 26, 2022
HomeDPL NEWSFICO aposta em inteligência aplicada para gerar valor para os clientes

FICO aposta em inteligência aplicada para gerar valor para os clientes

Para Bill Waid, da FICO, o diferencial da companhia é combinar as inteligências artificial e humana para aplicar aos negócios e gerar valor para os seus clientes.

Leer en español

Para a FICO, a chave para a transformação digital é aliar a Inteligência Artificial à inteligência humana e aplicá-la aos negócios (inteligência aplicada). Esse é o core da plataforma que compila dados, faz a análise e gera insights para seus clientes tomarem as melhores decisões.

Em sua apresentação no FICO Fórum 2022, Bill Waid, Chief Product & Technology Officer da FICO, mencionou uma frase atribuída à Gartner: “dados sem uma decisão é uma distração”. Para ele, a frase captura a essência da plataforma: “se você não decide com base nos dados, eles têm algum valor? Esse é o nosso foco”.

Stephanie Covert, vice-presidente executiva da FICO, explicou que a companhia trata de tomar dados, analisá-los, gerar insights, converter esses insights em decisões e operacionalizar esse processo em escala. “Essa é uma necessidade de todas as empresas”.

Ela ainda mostrou que alguns de seus clientes foram capazes de entregar ao mercado produtos ou soluções 50 vezes mais rápido do que no passado, sem as soluções FICO. Outros reduziram em 80% os esforços de desenvolvimento, porque a plataforma constrói soluções rapidamente.

O Fórum também contou com a participação de parceiros da FICO, como Bradesco, Itaú e Dock, para compartilhar as experiências de transformação digital e aplicação da plataforma. 

Bradesco

Um pilar comum a todas empresas é o foco na experiência do cliente. Alessandro Zampieri, diretor de produtos de crédito do Bradesco, falou sobre como começou o Brain, programa de transformação digital da área de crédito.

O objetivo, segundo Zampieri, era transformar a experiência de crédito do cliente com a plataforma adequada, que recebesse informações no tempo adequado e que tivessem os processos adequados. 

Um exemplo do que pode ser feito foi a oferta de crédito no lançamento do PIX. Se o cliente entrasse na conta, tentasse fazer uma transferência instantânea e não tivesse saldo, o banco já calculava o quanto ele precisava de crédito e oferecia a ele.

Itaú

O Itaú utiliza uma ferramenta da FICO para ajudar na detecção de fraudes, que inclui a comunicação com os usuários. 

Com uma plataforma antiga, o banco tinha uma taxa de resposta dos clientes de 22% com SMS. Após refinamentos, hoje a taxa é de quase 90% com a nova plataforma e o WhatsApp como canal, comentou Victor Thomazetti, fraud risk senior manager do Itaú.

Ele explicou que a instituição agora detecta fraudes mais rapidamente e reduz custos nestas operações, inclusive de atendimento, porque o número de fraudes diminuiu.

O CEO da Dock, Antonio Soares, ressaltou três tendências do mercado: as necessidades dos consumidores é que mandam na pauta do produto e da oferta; a coopetição, já que cada vez mais empresas que competem estão trabalhando em conjunto por alguma solução; e a quebra de paradigma na concessão tradicional de crédito.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, periodista de temas digitales, telecomunicaciones y tecnología y corresponsal de DPL News en Brasil y lengua portuguesa. Editor, jornalista digital, de telecomunicações e tecnologia e correspondente do DPL News no Brasil e em português.

Publicidad

LEER DESPUÉS