“A faixa de 6 GHz precisa ser ocupada”, diz presidente da Anatel

Leer en español

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) tem pressa para ocupar a faixa de 6 GHz no Brasil. Durante uma viagem em setembro, o presidente da Anatel, Carlos Baigorri, falou a empresas de roteadores WiFi 6 – como Qualcomm e Cisco – e à Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos Estados Unidos que “o país não pode ficar à espera da massificação de aparelhos ao público em geral por tanto tempo”. A notícia saiu primeiro na Folha de S.Paulo e foi confirmada pela DPL News.

A faixa de 6 GHz é alvo de disputa entre a indústria de 5G e do WiFi 6, porque a frequência pode ser utilizada para expandir ambos os serviços. A primeira afirma que o espectro será necessário para o desenvolvimento do 5G no futuro, e a segunda diz que o espectro ajudará a melhorar o acesso à Internet.

Em 2020, a Anatel colocou toda a frequência à disposição para o WiFi 6, mas ainda são poucos os produtos disponíveis no mercado brasileiro. Ou seja, as empresas ainda não estão usando o espectro com eficiência e as operadoras estão impedidas de usá-lo para o 5G. À DPL News, Baigorri disse que “a faixa de 6 GHz precisa ser ocupada”.

No próximo ano, a União Internacional de Telecomunicações (UIT) definirá o padrão mundial da faixa de 6 GHz. Questionado sobre qual seria a posição da Anatel caso a UIT decida destinar o espectro para o 5G ou dividi-lo entre uso licenciado e não licenciado, o presidente da Anatel afirmou que irá “aguardar”.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies