Huawei e UNESCO fazem parceria para promover talentos digitais na América Latina

Leer en español

A Huawei e o Escritório Regional de Educação para a América Latina e o Caribe (OREALC) fecharam uma parceria nesta terça-feira, 1, para promover o desenvolvimento de talentos digitais na América Latina.

As duas organizações assinaram uma Carta de Intenções durante um evento virtual e anunciaram algumas áreas de cooperação em potencial, como o desenvolvimento de habilidades digitais para mulheres e crianças e programas de alfabetização digital para professores.

A empresa e o escritório também pretendem oferecer treinamento em habilidades digitais para populações vulneráveis. Serão promovidos webinars e workshops para conscientizar sobre a importância do desenvolvimento inclusivo de talentos digitais.

“A Carta de Intenções é o resultado de um trabalho de vários meses entre a UNESCO e a Huawei durante os quais ambas as instituições vêm compartilhando visões, experiências e planos para o futuro da Educação na América Latina e priorizando áreas de trabalho comum como as competências para professores em TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação)”, disse Claudia Uribe Salazar, diretora da OREALC.

Catherine Chen, diretora da Huawei Technologies, contou que a companhia se dedica ao desenvolvimento de talentos digitais em todo o mundo e aumentou esse investimento nos últimos anos como parte de sua responsabilidade social corporativa.

Só no Brasil, a empresa pretende abrir 12 laboratórios de fibra óptica até agosto de 2021.

Falta de profissionais

No mesmo evento, foi debatido o déficit de profissionais de tecnologias da informação (TI) na América Latina. Carlos Motta, diretor e presidente do Instituto Nacional de Telecomunicações do Brasil, comentou que é urgente que se aprofunde a educação com perfis tecnológicos.

“O mercado brasileiro é uma oportunidade muito grande e precisamos de muita profissionalização na agricultura, nas telecomunicações, porque é um país muito grande. Precisamos de jovens para trabalhar com transformação digital desenvolvendo sistemas para que possamos oferecer à sociedade as melhores aplicações possíveis”, disse.

A reitora da Escola Politécnica Nacional do Equador, Florinella Muñoz, afirmou que a pandemia Covid-19 revelou a necessidade de ter cada vez mais profissionais de TI. 

“Temos as áreas de software e telecomunicações, e nelas temos cerca de 15% dos alunos nessas carreiras com grande futuro. No entanto, este ano, vimos que todas as carreiras precisam dessas ferramentas tecnológicas”, completou.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies