SNE tem nova onda de adesões: DER Tocantins e sete municípios do Rio de Janeiro

mês de julho viu uma nova onda de adesões ao Sistema de Notificação Eletrônica (SNE).  Na segunda-feira, 24, cinco novos municípios fluminenses passaram a fazer parte do SNE: Araruama, Cabo Frio, Nova Friburgo, Macaé e Campos dos Goytacazes. Duas outras prefeituras, Maricá e Volta Redonda, já haviam ingressado há duas semanas. No dia seguinte, 25, o DER Tocantins passou a fazer parte do sistema, o que vai permitir com que todas as multas estaduais sejam pagas com a utilização da tecnologia.

Como obter o desconto

Para ter direito ao desconto de 40%, o proprietário ou condutor do veículo deve fazer seu cadastro no Gov.br e aderir ao SNE no aplicativo da Carteira Digital de Trânsito, habilitar o veículo no aplicativo da CDT, disponível nas lojas de aplicativos ou no Portal de Serviços Senatran. O motorista precisa também reconhecer que cometeu a infração de trânsito. Pessoas jurídicas também podem utilizar o sistema, mas apenas no ambiente web.

Uma vez que o proprietário e/ou o condutor estejam habilitados no sistema, eles passarão a receber, de forma eletrônica, todas as notificações de infrações dos órgãos autuadores que já realizaram a adesão. Também é possível conhecer detalhes de cada multa, reconhecer o cometimento da infração, copiar o código de pagamento e, ainda, realizar a indicação do condutor responsável pela infração.

Celeridade na comunicação de infrações

O Sistema de Notificação Eletrônica é uma solução tecnológica desenvolvida pelo Serpro, maior empresa pública de tecnologia do Brasil, para a Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran). Ao criar o SNE, um dos desafios enfrentados pelo Serpro foi agilizar e coordenar a comunicação de infrações de trânsito entre os diversos órgãos autuadores em todo o país, que tem uma dimensão continental.

A solução foi estruturada para garantir não só a celeridade no envio das notificações, mas também para estar integrada diretamente com o Registro Nacional de Infrações de Trânsito (Renainf), permitindo acesso imediato às infrações cometidas em unidades federadas diversas daquela onde o veículo estiver licenciado.

Além do Renainf, o Serpro integrou o SNE às outras bases nacionais, como ao Renach (Registro Nacional de Carteira de Habilitação) e ao Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores). Para o usuário final, o SNE também faz integração com o aplicativo da CDT e com o Portal da Secretaria Nacional de Trânsito, já conhecidos do grande público.

Tecnologia envolvida

O Serpro construiu o SNE usando como base tecnológica o que há de mais avançado no mercado de desenvolvimento. Em seu núcleo, o sistema junta mensageria, big data, alto poder de processamento e resiliência para entregar os melhores resultados. Além do acompanhamento e gestão das notificações e multas do proprietário atual do veículo, o SNE permite as chamadas “notificações para terceiros”, que incluem o proprietário à época do cometimento da infração, o principal condutor (quando quem conduz habitualmente o veículo não é o proprietário, como no caso de motoristas particulares) e o condutor infrator (quando a infração é cometida por outro condutor, como no caso de empréstimo do veículo).

O SNE foi desenvolvido na linguagem de programação Java, amplamente usada para codificar aplicações web. É hospedado na nuvem própria do Serpro, o Estaleiro. Seu Core usa processamento de eventos com Kafka e banco de dados postgres. É também uma solução backend, ou seja, é nela que ocorre todo o processamento e tratamento de dados gerados pelas solicitações dos usuários.

Informações Serpro