Oracle vê operadoras brasileiras avançadas na transformação de seus negócios

As operadoras de telecomunicações estão passando por uma transformação em seus modelos de negócios, deixando de fornecer apenas a conectividade para fazer parte do desenvolvimento de novos negócios também.

Segundo Ángel Alija, vice-presidente de Telecomunicações da Oracle na América Latina, esse é um desafio importante. “Tem que ter muito conhecimento da indústria, tem que criar ecossistemas. Essa não é a maneira tradicional de operar. Acredito que todas as operadoras estão fazendo seus esforços, mas é algo que vai demorar”, disse à DPL News no Oracle CloudWorld 2023.

O executivo comentou que as operadoras estão inovando em redes privadas, serviços em Nuvem e integração de soluções de aplicativos para fornecer soluções mais completas e acessar lugares onde antes não estavam. 

“Especificamente o Brasil é um dos países mais avançados nesse aspecto. Como país, acredito que as indústrias estão adotando novas tecnologias, como IoT e serviços diferenciados de telecomunicações, mais do que em outras regiões da América Latina. E, nesse sentido, acredito que as operadoras brasileiras estão vivendo esse desafio e acredito que estão conseguindo se adaptar muito mais”.

Leia também: TIM e AgTech Garage vão testar aplicações 5G voltadas para o agronegócio

Alija explicou que a Oracle ajuda nesse processo por ter um portfólio amplo que atende várias verticais da indústria. “O que fazemos são parcerias com operadoras e ajudamos a desenvolver novos modelos de negócios com muito conhecimento da indústria, pois estamos envolvidos na manufatura, na saúde, nas cidades inteligentes, na segurança. E todos esses serviços, no final, fazem parte do nosso conjunto de produtos”.

Virtualização da rede

Em relação ao 5G, o executivo falou sobre a importância de ter um core nativo da Nuvem para abrir novas possibilidades de serviços. Ele também disse que as operadoras no Brasil estão seguindo este caminho.

“Desde o 4G, praticamente todas as operadoras virtualizaram todas as funções de rede. No 5G, é muito importante ter um core nativo da Nuvem e que seja um core de serviços”, afirmou. “Acredito que as operadoras no Brasil, como parte da licitação [do 5G] e das obrigações, foram pressionadas pelo governo a adotar esse core SA do 5G”.

Operadoras regionais

Uma particularidade do Brasil são os provedores regionais, que têm ganhado força no mercado fixo nos últimos anos e estão se movimentando para ingressar no mercado móvel. Alija disse que a Oracle também está em contato com essas empresas para projetos que vão desde Nuvem até o stack completo.

“Eles estão em um momento muito importante de investimento e precisam otimizar custos. Ou seja, eles têm um desafio de investimento muito grande na rede, na cobertura. Somos uma empresa que pode ajudá-los a fazer mais com menos”, concluiu.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies