Brasil | Subir morro, ficar sem Pix: brasileiros desconectados recorrem a redes comunitárias

Folha de S. Paulo

MONTEIRO LOBATO (SP) – O ritual se repetia todas as manhãs. Carolina Ribeiro Defino, 35, acordava por volta das 7 horas e fazia uma caminhada de cerca de 300 metros. “Como tinha que subir o morro, dava a impressão de andar 1 quilômetro”, brinca. Nas mãos, levava o celular, em busca de um sinal de internet.

Em meio a vacas e galinhas da propriedade rural vizinha à sua casa, onde estava instalada uma antena, ouvia os recados da véspera, tentava ligar para a família, um amigo ou um contato de trabalho. Descia o morro. Só voltaria a ficar conectada no dia seguinte.
Ler mais…

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies