Vivo reduziu 19% das emissões de CO2 em 2021

Leer en español

A Vivo anunciou recentemente que reduziu 19% das suas emissões diretas de CO2 no ano passado. Entre 2015 e 2021, a redução foi de 76%, puxada pelo uso de energia 100% renovável em suas operações.

Em relatório aos investidores, a companhia divulgou que encerrou o ano com 21 usinas de energia renovável e que planeja ampliar o número para 85 até o final de 2022. Além disso, 98% dos seus resíduos eletrônicos foram reciclados e mais de 9 toneladas foram coletadas no programa com clientes.

Para chegar a esses resultados, a Vivo ampliou o peso da meta de redução de emissões de CO2 nos bônus dos executivos. E 20% da remuneração variável dos executivos está vinculada às metas ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa).

O principal objetivo da companhia é zerar as emissões líquidas até 2025 nos escopos 1 e 2 – emissões da operação da empresa e emissões indiretas pela utilização de energia elétrica, respectivamente – e alcançar zero emissões líquidas até 2040 no escopo 3 – demais fontes que causam emissões indiretas.

As iniciativas ESG são importantes para o setor de telecomunicações para a atração tanto de clientes quanto de investidores. Cerca de 95% dos brasileiros já esperam que as grandes empresas tenham comprometimento com questões ambientais e, em relação aos investimentos, é necessário comprovar o compromisso com as causas ambientais, sociais e corporativas para ter acesso a créditos.

Outras medidas ESG

O relatório indica que cerca de 2,7 milhões de pessoas foram impactadas pelos projetos em educação pública da Fundação Telefônica Vivo. A entidade oferece cursos para qualificar educadores e formação para jovens voltada para projeto de vida, empreendedorismo social e tecnologias digitais.

A empresa também chegou ao final de 2021 com 29% de mulheres em cargos de liderança. No ano anterior, o número foi de 25%.

Das vagas de estágio, 50% foram exclusivas para candidatos negros no ano passado. A medida tem o objetivo de aumentar a participação de pessoas negras na empresa. No final de 2020, o número de colaboradores negros era 26,2% e, em cargos de liderança, apenas 18,2%.

Até 2024, o objetivo da Vivo é ter 30% de profissionais negros liderando.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies