TIM oferece modem Wi-Fi 6 para seus clientes residenciais

Leer en español

A TIM anunciou recentemente que vai passar a oferecer o modem Wi-Fi6 em seus pacotes de Internet residencial. Inicialmente, a tecnologia está disponível apenas no plano de 1 giga de velocidade, mas deverá ser incluída nos outros planos ao longo do ano.

O objetivo da companhia é melhorar a qualidade do serviço com aumento de cobertura em até 40%, maior velocidade e conectando um número maior de dispositivos sem perder qualidade de transmissão. Segundo a TIM, ela é a primeira operadora a oferecer o modem Wi-Fi 6 aos seus clientes.

“Estamos preocupados em sempre proporcionar a melhor experiência para nossos clientes dentro de suas casas”, afirma o diretor de Soluções Residenciais, Fabricio Bindi. “Muitas vezes se tem uma boa conexão de fibra, mas a experiência é prejudicada com um modem Wi-Fi antigo. Na TIM queremos que o cliente sempre tenha acesso à melhor tecnologia e não precise gastar mais em equipamentos adicionais”.

Ele acrescenta que com cada vez mais serviços conectados à rede, como câmeras de segurança, uso intensivo de vídeo (para aulas ou para trabalho) e jogos, é fundamental um bom equipamento em casa. Algumas outras vantagens do roteador Wi-Fi6 é a maior segurança, criptografia mais robusta, menor consumo de energia e a redução de interferências entre aparelhos.

Os modems disponibilizados pela TIM fazem a troca inteligente das bandas 2,4 GHz e 5 GHz para melhorar a distribuição de sinal e manter a estabilidade.

Wi-Fi 6

O Wi-Fi 6 é o novo padrão da tecnologia sem fio que promete alto rendimento, com baixa latência e alta capacidade, funcionando de forma complementar ao 5G privativo, pois ambos suportam ambientes de Internet das Coisas (IoT) densos e permitem aplicações imersivas para o trabalho híbrido.

Apesar de serem complementares, há uma briga entre as indústrias de serviço fixo e serviço móvel pelo espectro de 6 GHz, que pode ser utilizado tanto pelo Wi-Fi 6 quanto pelo 5G. Enquanto a União Internacional de Telecomunicações não padroniza o destino da banda, há argumentos de ambos os lados para ficar com mais espectro. 

Uma possível solução é equilibrar o acesso à faixa de 6 GHz com 700 MHz para o Wi-Fi 6 e 500 MHz para o 5G. “Se estiverem disponíveis [para serviços móveis] no momento adequado, as bandas intermediárias podem gerar um crescimento de US$ 18 bilhões somente no Brasil”, disse Lucas Gallitto, diretor da GSMA para a América Latina, em entrevista recente à DPL News.

A Wi-Fi Alliance estima que cerca de 2 bilhões de dispositivos Wi-Fi 6 entrarão no mercado este ano.