martes, septiembre 27, 2022
HomeTECNOLOGÍACultura digitalBrasil | Uberlândia e Campo Grande são as vencedoras da edição 2021...

Brasil | Uberlândia e Campo Grande são as vencedoras da edição 2021 do Ranking de Serviços de Cidades Inteligentes

Conexis Brasil Digital

Uberlândia (MG) e Campo Grande (MS) foram as cidades que se destacaram na edição deste ano do Ranking de Serviços de Cidades Inteligentes, divulgado hoje pela Conexis Brasil Digital e pela Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel).

Uberlândia foi a primeira colocada no ranking geral, acumulando também a liderança com o Ranking de Cidades Amigas da Internet, anunciado em setembro. Campo Grande, por sua vez, foi a capital de estado mais bem colocada, ocupando a segunda posição no ranking geral.

Elaborado pela consultoria Teleco, o Ranking de Serviços de Cidades Inteligentes avalia, entre os 100 maiores municípios brasileiros em população, aqueles que estão ofertando serviços considerados inteligentes ao cidadão, utilizando os meios digitais, como Internet e celular.

São considerados serviços utilizados diretamente pelo cidadão nas áreas de mobilidade urbana, e-gov, saúde, educação e meio ambiente. O ranking permite que os municípios verifiquem a sua posição em relação aos demais e identifiquem os pontos que requerem aprimoramentos, de modo a tornar suas cidades mais inteligentes.

Durante a live Diálogos Conexis, em que o ranking 2021 foi anunciado, o presidente executivo da Conexis, Marcos Ferrari, destacou que a premiação reflete o reconhecimento a gestões municipais inovadoras e amigáveis ao desenvolvimento da infraestrutura da conectividade. “Uberlândia e Campo Grande são exemplos do que as cidades podem fazer em prol do 5G e do cidadão”, afirmou.

Ao comentar os resultados do ranking, o presidente da Teleco, Eduardo Tude, salientou o grande crescimento constatado na oferta de serviços digitais nas cidades, principalmente os relacionados às áreas de educação e saúde. “A quantidade de serviços inteligentes nas cidades cresceu, mas a maior parte ainda tem dificuldade de reportar a sua utilização, principalmente as que possuem poucos serviços”, afirmou o executivo.

Luciano Stutz, presidente da Abrintel, reiterou a necessidade de atualização das legislações municipais, elemento indispensável para a expansão da conectividade móvel. “Apenas durante a pandemia, o acesso à internet possibilitou que mais de 11 milhões de pessoas fossem incluídas na economia digital e aumentassem sua renda familiar”, comentou Stutz.

Para o diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital do Ministério de Ciência e Tecnologia e Inovações (MCTI), José Gontijo, “o ranking colabora para a evolução da maturidade do desenvolvimento do País, onde a capilaridade alcançada pelas operadoras de telecom tem sido fundamental para pensar a Estratégia Brasileira de Transformação Digital e o Plano Nacional da Internet das Coisas”.

Cidades premiadas – O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, reconheceu que muitos avanços nos serviços inteligentes ocorreram em função da pandemia, mas que esse movimento não pode parar. “A cidade que não for uma facilitadora do desenvolvimento digital vai ficar para atrás”, afirmou.

Marquinhos Trad, prefeito de Campo Grande, celebrou a inclusão da capital entre as primeiras do ranking, destacando que a cidade já se encontra disponível e habilitada para receber a tecnologia 5G. Para ele, “construir uma cidade com serviços inteligentes depende de uma série de fatores, mas a principal é a força de vontade de seus gestores”. 

Também nesta live, o MCTI, a Conexis e a Abrintel anunciaram um termo de cooperação para incentivar municípios a oferecerem serviços inteligentes à população. O termo de cooperação prevê a troca de informações entre o setor público e privado, unindo governo e setor de telecom e tem como base o Ranking de Serviços de Cidades Inteligentes.

DPL News
DPL Newshttps://dplnews.com/
Digital Policy & Law es una empresa especializada en el análisis estratégico de las políticas públicas de telecomunicaciones, TIC y economía digital.

Publicidad

LEER DESPUÉS