domingo, septiembre 25, 2022
HomeTECNOLOGÍAMujer TICBrasil | Investimento em startups lideradas por mulheres dobra em 3 anos

Brasil | Investimento em startups lideradas por mulheres dobra em 3 anos

Pesquisa da LAVCA mostra que o mercado de VC e o ecossistema regional de startups estão mais maduros e racionais.

A LAVCA, Associação de Investimento em Capital Privado na América Latina, apresentou, durante evento realizado em parceria com a Microsoft e a Bertha Capital, o estudo LAVCA VC & Tech Mid-Year Trends na América Latina, uma análise detalhada do mercado de Venture Capital no Brasil e na América Latina. A pesquisa faz uma comparação ano a ano dos investimentos levantados pelas startups entre 2015 e junho de 2022. Em apenas seis meses, os dados indicam que, mesmo com desaceleração no setor, 2022 já é o segundo maior ano para investimento em venture capital, atrás apenas de 2021. O estudo mostra um aumento nos investimentos em startups lideradas por mulheres – ou com, pelo menos, uma no conselho -, que passaram de 16% em 2019 para 31% em 2022, o que equivale a um terço do valor total investido na América Latina.

O crescimento nos aportes ao empreendedorismo feminino registrado foi refletido no ecossistema brasileiro, que viu os investimentos direcionados às startups fundadas por mulheres passarem de 15% para 30%, no período entre 2019 e 2022. Em linha com os esforços globais pela igualdade de gênero, surgiu o Women Entrepreneurship (WE), um programa desenvolvido pela Microsoft Participações, em parceria com o Sebrae Nacional e a M8 Partners, e com o apoio da Bertha Capital. O WE é o primeiro fundo de VC focado apenas em empreendimentos liderados por mulheres. A iniciativa, lançada em 2019, já investiu em oito startups nos últimos três anos.

“A lacuna de diversidade no mercado de Venture Capital é um reflexo da nossa sociedade e do mercado de tecnologia como um todo. Segundo dados do Women Founder Report 2021, quando se trata de empreendedorismo tradicional, 46,2% das empresas são fundadas por mulheres. No entanto, no ecossistema de inovação, onde os empreendimentos têm foco em tecnologia, essa representação é de apenas 9,8%. Precisamos ter um olhar intencional para o setor e buscar mais diversidade quando se trata de direcionar investimentos”, disse Franklin Luzes, vice-presidente de Inovação, Transformação e Startups em fase de crescimento acelerado na Microsoft Brasil.

De acordo com a pesquisa da LAVCA, até o momento foram investidos mais de US$ 5,4 bilhões em startups latino-americanas, o que representa 541 acordos assinados. Os aportes por meio do Venture Debt, modelo de financiamento para startups com baixo capital de giro, vem se expandindo na região e já representam 13% do total arrecadado. O Brasil continua sendo o maior mercado de investimento de VC na região no primeiro semestre de 2022, com US$ 2,2bilhões investido em 232 transações, representando 41% do capital e 43% dos negócios da região. Na América Latina como um todo, os setores que mais receberam investimentos foram os de fintechs, cerca de 30% no total, seguidos por empresas de software (20%), e-commerce (16%), proptech – setor imobiliário (7%) e logística (6%). Segundo o estudo, o número de reapeted funders (empreendedores recorrentes, na tradução livre) que conseguiram levantar investimentos quebrou recordes em 2022, já que 43% dos empreendedores que já haviam conseguido levantar capital em rodadas de 2019, repetiram o feito este ano.

“O ecossistema de Venture Capital da América Latina está em seu segundo melhor ano já registrado, com investimentos no primeiro semestre de 2022 que já superaram o capital comprometido nos anos completos de 2019 e 2020. A evolução é gradual, mas constante, em um ecossistema mais experiente, equitativo e resiliente. Isso pode ser visto pelo aumento significativo do financiamento para fundadores e empresas lideradas por mulheres, bem como o um dinheiro substancial para investir em oportunidades, os chamados dry powder disponível para apoiar as early-stage (satrtups em estágio inicial)”, disse Carlos Ramos de La Vega, diretor de Venture Capital da LAVCA.

Um empurrão para o empreendedorismo feminino no Brasil

Durante o evento, Franklin Luzes apresentou as iniciativas do Women Entrepreneurship (WE) e WE Ventures, lançadas em novembro de 2019. A WE Ventures é o braço de investimentos do WE que teve a WE Impact como uma de suas investidas – que, por sua vez, atua como “Venture Builder”, ajudando startups lideradas por mulheres a melhorar suas soluções e alcançar as próximas etapas de desenvolvimento.

“Por meio da WE Ventures e WE Impact criamos um ecossistema que, em dois anos, já conta com mais de 1.500 startups inscritas, 15 projetos sendo analisados e 8 investimentos diretos ou indiretos concluídos”, explicou o vice-presidente de Inovação, Transformação e Novos Negócios da Microsoft.  

Outra iniciativa apresentada durante o evento foi a cartilha “Princípios de Empoderamento das Mulheres para Startups”, elaborada pela a WE Impact em parceria com ONU Mulheres e Gema Consultoria em Equidade. O material tem como objetivo levar conhecimento e informação para empreendedores, e servir como um guia de boas práticas para incentivo e fomento a participação de mulheres no ecossistema de inovação. Como próximos passo o WE Impact pretende realizar treinamentos específicos de cada Princípio mencionado na cartilha, para apoiar startups de todo o ecossistema nos desafios que encontrarem na hora de implementá-los. 

Na ocasião, Thiana Müller, diretora de Fundos da Bertha Capital, reforçou sobre a importância de empoderar e incentivar as mulheres no ecossistema de startups. “Queremos mostrar que o comprometimento com a equidade de gênero pode, e deve, estar presente ao longo de toda a jornada de uma startup”, disse a diretora de Fundos da Bertha Capital, também representando a WE Impact . 

O Fundo WE Ventures tem como foco as startups de tecnologia com faturamento mínimo anual de R$ 200 mil, com pelo menos uma mulher em cargo de liderança e com ao menos 20% de participação acionária. Por meio da WE Impact, ao todo, já foram investidos mais de R$ 2 milhões em empreendedorismo tecnológico feminino, impactando a vida de mais de 200 mulheres desse ecossistema. Além do recurso financeiro, a WE Impact ativa toda a sua rede de conexões, com forte participação da Microsoft, para impulsionar a jornada destas startups. 

*Com assessoria de imprensa.

DPL News
DPL Newshttps://dplnews.com/
Digital Policy & Law es una empresa especializada en el análisis estratégico de las políticas públicas de telecomunicaciones, TIC y economía digital.

Publicidad

LEER DESPUÉS