Brasil | Algar Telecom alcança meta de matriz energética 100% renovável


A Algar Telecom, empresa de telecomunicações e TI do Grupo Algar, alcançou a meta de ter 100% da sua matriz energética renovável. No decorrer de 2021, a companhia aumentou seu percentual de consumo de energia renovável, reforçando o compromisso com a agenda climática e iniciando a descarbonização efetiva das operações. A conquista é reflexo do investimento da companhia em usinas fotovoltaicas próprias, além da aquisição de fontes incentivadas do Mercado Livre e de certificados de energia renovável.

“A energia elétrica de qualidade é insumo essencial e insubstituível para garantir a estabilidade e segurança das nossas operações. Devido a sua relevância e potencial impacto ambiental, norteamos a gestão da energia em duas frentes de atuação: transição da matriz elétrica para fontes renováveis e eficiência energética, ambas com foco na redução de emissões de CO2. Com essa estratégia, conseguimos garantir que 100% do nosso consumo de energia seja renovável, o que é um marco significativo na jornada ESG da companhia e um reforço do nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável”, comenta Luís Lima, vice-presidente de Tecnologia e Evolução Digital da Algar Telecom.

No ano passado, a empresa também investiu na modernização de equipamentos de climatização, reduzindo o consumo de energia por meio da substituição dos aparelhos de ar-condicionado para modelos mais eficientes, com a troca daqueles que utilizam o gás R22, mais prejudicial para a camada de ozônio. Também foi realizado o monitoramento em tempo real do consumo de energia elétrica dos escritórios e prédios, permitindo identificar oportunidades de otimização do consumo e aumentar a eficiência.

Avanços do programa interno de evolução tecnológica, Next, também proporcionaram economias significativas no uso de energia, com destaque para o Full GPON, projeto que substitui as redes legadas (par metálico) por fibra óptica. Em 2021, a empresa deixou de consumir aproximadamente 600 MWh/ano graças à modernização das nossas redes, a partir da migração de 97% dos clientes banda larga para fibra óptica na sua área de concessão.

“Ao longo dos anos, temos caminhado para a transição da matriz energética, tendo sido a primeira operadora a ter um site de telecomunicações do Brasil com energia fotovoltaica conectada à rede elétrica. Mesmo com o crescimento da companhia e expansão da nossa rede, todas as nossas iniciativas e investimentos em eficiência resultaram na redução do consumo de energia de 55.851 MWh, em 2020, para 54.977 MWh, em 2021”, complementa o executivo.

Entre as ações implementadas, destaca-se a construção de duas usinas fotovoltaicas para autogeração, a Capim Branco I e Capim Branco II, inauguradas em 2018 e 2020, respectivamente. Ambas na região de Uberlândia (MG), elas somam capacidade para gerar 18.600 MWh por ano de energia solar.

*Com assessoria de imprensa.