lunes, noviembre 28, 2022
HomeREDES5GAntenas instaladas para 5G SA superam o mínimo exigido: Anatel

Antenas instaladas para 5G SA superam o mínimo exigido: Anatel

O Gaispi aprovou a liberação da faixa de 3,5 GHz para ativar o 5G nas capitais de Porto Alegre, João Pessoa e Belo Horizonte a partir de sexta-feira.

Leer en español

O Gaispi (Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz) aprovou a liberação da faixa de 3,5 GHz para ativar o 5G Standalone (SA) nas capitais de Porto Alegre, João Pessoa e Belo Horizonte.

A informação havia sido adiantada nesta semana pelo conselheiro Moisés Moreira, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e foi confirmada por ele nesta quarta-feira, 27.

Em coletiva de imprensa, Moreira explicou que amanhã (28) serão liberados boletos para as operadoras – cada estação rádio base (ERB) custa aproximadamente R$ 1.300. Assim que houver a compensação do pagamento, serão geradas as licenças de autorização do uso da faixa e as empresas poderão ativar o sinal do 5G nessas capitais.

Vale lembrar que a liberação da faixa de 3,5 GHz pelo Gaispi não implica a ativação do 5G automaticamente. De acordo com o Edital do 5G, a Siga Antenado (entidade que desocupa a frequência) precisa limpar a faixa de todas as capitais brasileiras até 29 de agosto, já as operadoras têm até 29 de setembro para ativar a tecnologia nessas cidades.

Relacionado: Anatel aprova prazo adicional para ativar 5G no 3,5 GHz

O conselheiro, que também é presidente do Gaispi, disse que a Siga Antenado já está trabalhando nas capitais de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Goiânia e Salvador, mas ainda não há previsão de quando essas cidades terão a faixa ativada.

Isso depende de quantos filtros para estações profissionais de satélite e de kits para antenas de TV parabólicas já foram entregues para a entidade, além da efetiva troca dos filtros e das antenas.

Filtros e ERBs

Vinícius Caram, Superintendente de Outorga e Recursos à Prestação da Agência, detalhou que as operadoras Claro, TIM e Vivo tiveram que instalar mais filtros em estações profissionais de satélite do que o previsto para evitar interferências, mas “dentro do esperado”.

“Em Belo Horizonte foram instalados 98 filtros, em Porto Alegre foram 74 e em João Pessoa 57”, comentou Caram. Ele também detalhou que, em relação às ERBs cadastradas, foram 50 em João Pessoa (66% a mais que o mínimo exigido), em Porto Alegre foram 103 (80% acima do mínimo) e em Belo Horizonte, 157 (63% a mais que o mínimo).

Apesar do lançamento superior ao obrigatório, é necessário ponderar que só terão acesso ao 5G SA os usuários que tiverem smartphones compatíveis. No caso de Belo Horizonte, por exemplo, Caram estima que a cobertura do 5G SA será de aproximadamente 3% nesse momento inicial.

“Nós temos hoje em torno de 5% da base de usuários com terminais compatíveis e, mesmo que as operadoras ativem mais [ERBs] do que o mínimo exigido, ainda assim representa menos de 15% do total. Então você vai ter uma cobertura do 5G SA limitada em torno de 3% da capital [de Belo Horizonte]”.

Avaliação de Brasília

Brasília, no Distrito Federal, foi a primeira capital a receber o 5G SA na faixa de 3,5 GHz no começo do mês. Assim que o Gaispi liberou a frequência, as operadoras Claro, TIM e Vivo lançaram o 5G de forma comercial. As companhias licenciaram 328 antenas, sendo que o mínimo exigido pelo Edital do 5G era de 100. Agora, já são 335 ERBs ativas na cidade, segundo Caram.

Sobre problemas de interferências, Alex Pires de Azevedo, coordenador do Grupo de Trabalho Desocupação do Gaispi, explicou que houve quatro reclamações de estações profissionais sobre interferências, sendo que três delas eram “improcedentes” – não eram elegíveis para receber os filtros.

Uma outra reclamação se deu por uma questão de erro de cadastro, o que impediu a Siga Antenado de instalar o filtro corretamente. Ele explicou que a instalação foi feita no mesmo dia e a interferência foi resolvida.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, periodista de temas digitales, telecomunicaciones y tecnología y corresponsal de DPL News en Brasil y lengua portuguesa. Editor, jornalista digital, de telecomunicações e tecnologia e correspondente do DPL News no Brasil e em português.

Publicidad

LEER DESPUÉS