sábado, enero 28, 2023
HomeDPL NEWS4 infraestruturas de tecnologia críticas para o Brasil

4 infraestruturas de tecnologia críticas para o Brasil

No Brasscom TecFórum 2022, os painelistas abordaram a importância da conectividade, data centers, nuvem e infraestrutura de transporte

Representantes do setor industrial e legislativo abordaram nesta quinta-feira, 24, durante o Brasscom TecFórum quatro infraestruturas economicamente críticas para o Brasil que merecem atenção dos setores público e privado.

A conectividade foi a primeira a ser mencionada pelo Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra. Ele citou o leilão do 5G, o primeiro não arrecadatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o que permitirá que os gargalos de acesso à Internet venham a ser superados nos próximos anos.

Isso porque os mais de R$ 47 bilhões gerados com o leilão não vão para os cofres públicos, mas as operadoras terão que investir para atender todas as cidades com 5G, implementar 4G nas localidades rurais, instalar backhaul de fibra óptica em municípios que ainda não tem a infraestrutura, entre outros compromissos.

Igor Calvet, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), acrescentou a importância dos data centers para o país. “Estamos diante de novos aspectos da nossa vida, em que tudo o que fazemos e somos é permeado por produtos e serviços que incorporam algum nível de digitalização, daí a importância da conectividade”, disse Calvet, acrescentando que as infraestruturas de computação e armazenamento também devem evoluir, o que acentua a importância dos provedores de nuvem e dos data centers.

Leia também: Demanda por data centers no Brasil vai explodir após 2023, aponta estudo

“Os data centers são infraestruturas críticas do ponto de vista da nossa competitividade, da forma como as empresas vão se portar no futuro próximo e no presente nessa economia digital, que, segundo o Fórum Econômico Mundial, vai movimentar US$ 100 trilhões nos próximos 10 anos. Se nós não tivermos essa conectividade e infraestrutura de data centers, estaremos totalmente apartados da economia mundial e não seremos competitivos.” Calvet ainda mencionou que, atualmente, o Brasil tem um déficit de data centers.

Atílio Rulli, vice-presidente de Relações Governamentais da Huawei, enfatizou a importância da nuvem, pois minimiza os altos investimentos dos data centers e acelera a transformação digital. “Vários setores estão indo por esse caminho. As operadoras, o governo federal e o setor privado usam cada vez mais a nuvem, que é habilitadora do acesso ao processamento”, completou.

Rulli também falou sobre a importância de se investir em backhaul e backbone, pois são essenciais para levar as informações aos data centers, por exemplo. “A construção do backhaul e do backbone tem que ser cada vez mais aderentes à essa alta velocidade do 5G”, declarou.

Em relação à infraestrutura de transporte, o deputado Vitor Lippi (PSDB-SP) afirmou que o direito de passagem é tema de um projeto de lei que está na Câmara dos Deputados. “Quando você faz compartilhamento de um duto que já foi feito anteriormente, o custo adicional para as operadoras é de 2 ou 3% em seus projetos. Se não tiver isso, o custo pode ser 34% a mais do que o previsto, por ter que fazer novas estruturas, porque aquilo não foi previsto pelo poder público.” 

O PL 3861/2015 dispõe sobre a obrigatoriedade da construção integrada de dutos para passagem de redes de telecomunicações em obras públicas de infraestrutura básica.

Lippi ainda disse que, atualmente, existem 4 mil projetos de lei relacionados a telecomunicações no Congresso Nacional. Por isso, nem sempre os projetos andam com a celeridade que mereceriam.

O consenso entre os painelistas é que essas infraestruturas são essenciais para o país porque geram serviços, empregos e melhoram a economia, inclusive reduzindo as desigualdades sociais e regionais. “Por isso estamos falando de infraestruturas economicamente críticas”, concluiu Sérgio Paulo Gallindo, presidente da Brasscom.

Mirella Cordeiro
Mirella Cordeiro
Editora, jornalista de temas digitais, de telecomunicações e tecnologia e correspondente da DPL News no Brasil e em português.

LEER DESPUÉS